Fabíola Oliveira, Advogado

Fabíola Oliveira

Recife (PE)
22seguidores6seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Sucesso é ir de fracasso em fracasso sem nunca perder o entusiasmo.
Sou uma jovem advogada formada pela UNICAP, com pós-graduação em Direito do Trabalho pela Esmatra e Direito Público pelo Espaço Jurídico com atuação como advogada voluntária na Defensoria Pública Federal e autora do blog jurídico para pessoas leigas em Direito Cadê Meu Direito?(www.cademeudireito.com ).

Comentários

(60)
Fabíola Oliveira, Advogado
Fabíola Oliveira
Comentário · há 6 meses
Eu não afirmei que você é concursada, tanto é que eu introduzi a minha fala com um "não sei se você é concursada". Afinal de contas, você começou o seu comentário dizendo que iria dar uma opinião de ex concurseira...

Agora fiquei curiosa porque, mesmo tendo sido aprovada no exame da ordem, você não logrou êxito nos concursos . Será que as suas sucessivas reprovações serviram para você perceber que é advogada por paixão? rsrsrs

Ah, você diz que o meu exemplo é uma exceção. Baseada em quê afirma isso? Outra coisa:você disse que quem acerta menos de 80% NUNCA seria aprovado no exame da ordem. Ora, se existe exceções, então não caberia um NUNCA nas sua afirmação. Concorda? Como ex concurseira, você deve saber que quando uma regra comporta uma única exceção, o NUNCA já torna a proposição falsa. Então...

Ah, você cita o brilhante Stephen Hawking para ilustrar seu comentário. Olha, seu exemplo esbarra em um problema. A doença de Hawking evoluía com o tempo, ou seja, a tendência era piorar. Porém, Hawking já era genial antes das primeiras manifestações da doença, já tendo cursado uma universidade e tudo... Então antes de você citar exemplos, deveria também levar em conta o contexto em que a pessoa citada estava inserida. Isso também conta.

Uma pessoa que não passa na OAB pode estudar mais , dedicar-se e passar, sim, em um concurso, isto é, não há nada que a impeça de melhorar com o tempo. Exame da ordem não é divisor de águas na vida de nenhum concurseiro...rsrs

Um concurseiro vai deixar de ser aprovado em um concurso após ter acertado menos de 80% da prova da ordem se ele começar a ter a mesma visão determinista que você, mas se ele continuar estudando e se dedicando, terá boas chances de passar e aí o teste da OAB será lembrado apenas como um tropeço e não como um obstáculo..

Desculpe, mas continuo te achando arrogante. Não sei se você é arrogante ou imatura. A imaturidade, às vezes, deixa a gente um tanto arrogante, com uma visão muito determinista da vida. Acho que quando você se permitir ter experiência de vida, vai ficar mais empática e menos soberba. Só que para ter experiência de vida, às vezes é preciso cair ou até mesmo acertar poucas questões no exame da ordem (rsrsrs), mas vence quem levanta, sacode a poeira e segue andando rumo à vitória.

Sugiro que (re) avalie suas posturas e crenças e veja se não foram elas que a impediram de ser aprovada em um concurso. Quem sabe você ainda não passou em um certame para, com os tombos, aprender a ser mais humilde? Sucesso!
Fabíola Oliveira, Advogado
Fabíola Oliveira
Comentário · há 6 meses
Não sei se você é concursada, mas Tem gente que quando passa em concurso público, perde a humildade. Talvez esse seja o seu caso. Olha, não sei até que ponto seria verdade afirmar que um indivíduo que acertou apenas 48 questões no exame da ordem de um total de 80, não estaria apto para passar em um concurso.

Será que as pessoas não podem continuar estudando e evoluir em conhecimento a ponto de conseguirem serem aprovadas em uma prova de concurso em que elas, ao contrário do exame de classe, estão concorrendo com outras a uma vaga?

Eu conheço uma pessoa que quase que levava bomba no primeiro exame da ordem e depois conseguiu passar em 7º lugar para analista do TRT Maranhão. Esse fato, por si só, já derruba a sua tese de que quem não consegue acertar, no mínimo, 80% da prova do exame da ordem NUNCA seria aprovado em concurso. Uma pessoa precisa ser muito arrogante para afirmar uma coisa dessas baseado tão somente no resultado de uma prova de OAB.

Uma vez uma amiga minha disse que ficou abismada com uma pessoa que ela conheceu, a qual acertou todas as questões no teste da OAB e demorou alguns anos para ser aprovada em um concurso. Ser aprovado em um concurso depende de muitas variáveis, colega.

Você propõe que a OAB estabeleça uma certa quantidade de vagas, o que transformaria o exame em um concurso. Você não acha que isso feriria o Princípio da Razoabilidade não? Porque o que justificaria um órgão de classe reservar vagas para admitir um profissional em seu quadro?

Sim, porque a Administração Pública tem toda razão de fazer isso, já que não poderia "contratar" mão-de-obra além da que realmente necessita, sob pena de violar princípios constitucionais que a regem. Mas você concorda que não faria sentido algum um órgão de classe adotar essa medida?

Isso só iria dificultar o exercício da profissão. Quem é que iria querer ser advogado para depois de cinco anos de faculdade ainda ter que prestar concurso para receber o título de advogado? Acaso ele depois disso será remunerado pela OAB como acontece com quem é aprovado em um certame? Fazer concurso para ainda ter que pagar anuidade é lasca!

Acolher sua proposta seria onerar sobremaneira novos profissionais e apenas satisfazer o ego de pessoas vaidosas. Gostaria de finalizar dizendo que não sou contra exame da ordem e sim contra o valor. Ademais, advogar vai muito além de simplesmente ser aprovado em um teste, pois implica, outrossim, em ter ética, saber lidar com cliente, etc.

Honestamente eu não sei se um indivíduo tão presunçoso teria tudo isso.

Recomendações

(42)

Perfis que segue

(6)
Carregando

Seguidores

(22)
Carregando

Tópicos de interesse

Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Recife (PE)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Fabíola Oliveira

Entrar em contato